sábado, 8 de agosto de 2020

Andei Lendo: PAX, Sara Pennypacker #BEDA




Oi, oi!

Confesso que esse é um daqueles livros que você vê, acha que vai amar, e se frustra. Bem, pelo menos comigo foi assim. 

Esse livro na verdade eu peguei emprestado. Já tinham me avisado que a leitura era um pouco mais devagar, mas decidi dar uma chance mesmo assim. Não me arrependi nem nada, só não rolou como achei que rolaria. 

O livro conta a história de Peter e sua raposa Pax. Eles são inseparáveis desde que Peter era criança, bem pequeno. Porém, devido a um acontecimento na família, o menino se vê obrigado a abandonar o seu melhor amigo, aquele que esteve ao seu lado em todos os momentos, tristes e felizes.

Quando o pai de Peter o obrigada deixar a raposa na beira de uma estrada quase abandonada, a raposa se vê totalmente sem norte. Como sabemos disso? O livro tem dois pontos de vista: O do menino e da raposa. 



Enquanto a raposa tem de aprender a sobreviver sozinha, a encontrar mais dos seus e a enfrentar tudo o que até então era novo, o menino percebe que estar na casa do avô não é o seu lugar, e que ele precisa encontrar seu amigo, custe o que custar.

Talvez eu não estivesse no clima do livro ou algo assim. Só sei que as vezes a leitura se arrastou muito. E por vezes eu adorava estar mais na cabeça do Pax do que do Peter. 

'Aqui tenho paz.
Por causa do silencio?
Não, porque estou exatamente onde deveria estar e fazendo exatamente o que deveria fazer. Isso é paz!'

Classificação Literária: ♥♥

sexta-feira, 7 de agosto de 2020

Quando fazem você duvidar de si mesmo... #BEDA


Oi, oi. Hoje estava pensando, em muitas coisas, no que falar aqui e tudo o mais. E me veio em mente algumas lembranças do passado. E comecei a me perguntar: quantas vezes eu me diminui, deixei de acreditar em mim por conta dos outros?

Na minha adolescência eu participei de um grupo de dança na igreja. Eu amava aquilo, as pessoas que estavam comigo nessa. Só que lembro de 'amigos' falarem: é porque ela acha que isso vai dar em alguma coisa. E isso me deixou muito chateada, a ponto de não falar mais com eles sobre esse assunto.

E tive mais casos do tipo: pessoas que antes que eu desse o primeiro bater de asas, já me podaram. Antes de dar o primeiro passo, já me deram rasteira. E muitas achando que assim estavam me ajudando. E que só fizeram com que eu duvidasse de mim mesma. E hoje talvez seja motivo da minha insegurança com tudo, de medos de mudanças e crises de ansiedade.

Quantas vezes você já foi colocado lá embaixo quando sua alegria estava lá em cima? Quantas vezes boicotaram suas idéias que você contou achando que podia confiar nas pessoas? Quantas vezes você só quis um apoio pra seguir suas vontades e foi arrastado pra trás com comentários que fizeram com que você fincasse naquele lugar.

E quantas vezes fomos nós que fizemos isso? Nós que criticamos apenas pra fazer piada, nós que menosprezamos sonhos alheios por termos medo de sonhar os nossos? Nós que não conseguimos ver a felicidade do outro, a não ser que essa felicidade nos convenha. 

As feridas ficam, por vezes a casquinha sai e dói por uns dias. Mas um dia cicatriza. E vira aprendizado. Não duvide de si, dos seus sonhos, e suas vontade. Se pra você vai dar certo? Então vai! Voa! Corra atrás daquilo que quer! Mesmo que seja ler um livro super difícil, um curso on-line ou algo maior ainda. Se você acredita em si mesmo, você já ganhou na vida!

quinta-feira, 6 de agosto de 2020

Seriando-se: Supergirl (4ª temporada) - #BEDA



Supergirl é aquela série de herói que eu não consigo largar. Desde o começo gostei. E é isso. Na metade da segunda pra terceira eu dei uma baqueada. Senti que a série deu uma travada pra mim. Então para ver essa temporada eu tava meio com o pé atrás. 

Mas me surpreendi. Comecei a ver e me empolguei. Eu amo a Kara e todo esse universo dela. E eles conseguiram me reconquistar. Senti que a série amadureceu, parece que mudou o tom, mas não perdeu a mão digamos assim.

Kara enfrentará nessa temporada dilemas familiares e pessoais piores que qualquer vilão que ela já enfrentou. Colocando em prova todo o seu relacionamento com a irmã Alex.

James e Lena também terão estranhezas no seu relacionamento. Vai e vem, vem e vai. Que você fica agoniado. Pois vou te falar: eu gosto desse casal. Gosto mesmo.

J'onn está de volta. Não tão em primeiro plano como antes, mas mesmo assim ele não perdeu sua essência e sua importância. E é um dos meus personagens favoritos.

Quanto aos novos: eu adoro o Brainy. Na terceira temporada não curti tanto ele assim, mas ele vai te ganhando, ganhando... E tem um episódio que com algumas cenas dele você fica tão vidrado, que não da pra explicar.


Lex, o irmão de Lena finalmente aparece. E num primeiro momento você irá amá-lo, até a página 2 já aviso. E eu fiquei chocada quando descobri quem era o ator que estava fazendo a interpretação!

Mas quem ganhou um espaço no meu coração dessa vez foi Nia! Eu não tava botando muita fé quando ela apareceu como a assistente da Kara, trabalhando na Catco. Mas, quando você começa a escutar as histórias dela, o passado e descobrir o segredo que ela carrega, você sente uma admiração, um orgulho, que me fez transbordar!

O que eu achei meu "ééééé" ruim.. foi o tal do Agente Liberdade. Me desculpem, mas pra mim não rolou!

Como eu sou a atrasada pras séries, (mas isso está mudando!), eu estou esperando a dona Netflix lançar a próxima temporada o quanto antes, já que não consegui acompanhar pela TV Paga.

Se você quer uma série, protagonizada por Mulheres, e que tem também laços de família, comece Supergirl. Quem sabe eu comece as outras séries derivadas da DC para juntar tudo. Pois uma cita a outra e ficará mais fácil entender as referências.

Assistam! Vale a pena sim!

Classificação Seriática: ♥♥♥♥

quarta-feira, 5 de agosto de 2020

Você é FODA!



Seja o raio de Sol da sua vida. Respeite seu corpo, suas limitações, seu tempo. 

Entenda suas vontades. supra os seus desejos, almeje por sonhos. 

Tenha vontade de seguir em frente, de ser melhor, se fazer melhor e estar melhor.

Não tenha medo de chorar, gritar e surtar. Faz muito bem.

Se recolha quando preciso. Curta a sua melhor companhia. Aproveite mais de você mesmo.

Não tenha medo de ouvir o que você está pensando. De atenção a sua consciência.

Coma aquilo que te faz bem, ouça a música que faz seu coração pulsar.

Desconecte-se do mundo, conecte o seu eu com ele mesmo.

Você é foda! Incrível! Fenomenal! Elementar!

Não tenha medo de vestir sua alma com todas as cores que quiser.

Não desista da sua felicidade. Faça o que te faz feliz.

Não se compare com os demais. Não queira ser o que não é do seu feitio. 

Você é único. Foi feito e a forma descartada, para que ninguém te copie.

Você vai ganhar o mundo. Acredite! Basta esperar o seu tempo.

terça-feira, 4 de agosto de 2020

No escurinho do cinema: I Feel Pretty (PTBR: Sexy por acidente) #beda



E fazia tempo que não postava sobre filmes aqui! E porque não voltar não é mesmo. Me comprometi comigo mesma em ver 1 filme por semana. E até que tem dado certo. 1 novo e 1 pra rever. E tem dado certo viu.

E a Evelyn Regly tinha indicado esse filme a um tempo. E quando eu assinei a Amazon vi que tinha, então seria a hora certa. E não me arrependi.

O filme conta a história de Reene, uma jovem que vive uma luta diária com o espelho, sempre se cobrando, sempre tentando se encaixar, sempre tentando agradar o que os outros veem. Até que no meio de uma aula de Spining, a mesma bate com a cabeça, e sua autoestima aflora e sua confiança vem a tona.

Ele tem um que de comédia romântica e tal, mas não foca tanto no relacionamento em si. Ele mostra mais sobre como a pessoa age com si mesma quando está feliz de dentro pra fora. Como a felicidade transborda e a confiança é visivel.

É bem engraçado e eu me diverti muito. Me mostrou muita coisa. Me fez pensar em quantas vezes estamos bem e as pessoas vão nos apagando, pouco a pouco. E a única pessoa que pode acender essa luz de novo, SOMOS NÓS MESMOS!

A atriz é sensacional, cumpriu super o papel e me fez querer ser amiga dela haha. As amigas dela e o namorado são uns amores, e mostram muito que em todo momento da vida, você precisa ter pessoas que te amam pelo que você é por dentro e não por fora. Amar a sua essencia e não sua aparência.

Ah! Vamos enaltecer também o figurino e a trilha sonora desse filme. A fotografia também! MARAVILHOSA! Gostei muito mesmo. Estou numa fase de ver filmes que aquecem o coração, porque pra irritar já tem um monte de coisa por ai.

Se você tá ai de bobeira, nessa quarentena eterna, veja Sexy por acidente. E depois vem me contar o que achou...



segunda-feira, 3 de agosto de 2020

Traumas antigos... #beda



Comecei a assistir a série This Is Us, e já estou apaixonada. Estou bem no comecinho ainda, mas esse começo já foi o suficiente para eu me simpatizar muito com a Kate.

E o porque disso? Porque nos poucos episódios que mostrou a infância dela, eu passei por situações parecidíssimas, e isso mexeu muito comigo. Kate é obesa, e isso vem desde a infância. Sei que a série mostrará mais e tal, mas o que quero dizer aqui é o seguinte:

Não traumatize uma criança apenas por ser mais uma piada. Não apoie outras crianças a fazerem o mesmo nem nada disso. E se você é pai, por favor, não desconte seus traumas nos pequenos.

Quando eu estava na fase de pré adolescência, aquela fase de transição punk da vida, eu ouvi uma coisa de uma pessoa, que nem é tão próxima assim, mas que me fez carregar essas palavras por toda a minha vida, e nos momentos de bad, são essas palavras que ecoam na minha mente.

Essa pessoa disse para minha mãe e eu estava próxima e ouvi: Nossa, a Carol está gorda para idade dela, e se agora ela está assim, dificilmente irá emagrecer no futuro. Isso bastou, e foi um gatilho pra mim. Com aquela idade, eu já passei a odiar meu corpo. A sempre cobrir e tudo. Jamais usar uma blusa mais curta, ou que ficasse mais justa no corpo. A andar segurando o ar, e a sentar de forma que não formasse os pneuzinhos. Isso com 10 anos! Uma idade em que eu não deveria me preocupar com nada disso.

E esse pequeno trauma eu carrego até hoje comigo. Evito mostrar meu corpo, colocar o biquíni é uma luta comigo mesma, e postar uma foto com ele, jamais! Eu aprendi muito nova, que as pessoas não querem ver um corpo além do necessário, digamos assim. E muitas vezes, essas proibições, começam nas nossas casas, em família.

Quantas vezes eu ouvi: ah não dá pra você usar biquíni, porque olha a pochete pulando. Será que não era melhor um maio fechado? Ou do gênero: se eu fosse você não colocaria tanto doce no seu prato, porque depois é difícil pra emagrecer.

Mas te falo: naquele momento eu só queria aproveitar um doce em família. Eu só queria ser livre como deveria ser e não fui. Já cresci pensando em não comer, em não abusar e sempre estar de olho no quanto e em que eu como. Mas não por minha saúde, e sim por conta de uma aparência par aos outros.

Por isso digo e repito: não faça piadinhas com crianças. Não chame de gordinho, baixinho, ou essas coisas que para muitos é normal. É nessa fase que os traumas começam, e podem ser bem complicados de reverter depois.

Você gostaria de saber que seu filho cresceu com uma imagem de si mesmo distorcida? Gostaria de saber que por conta de uma piadinha ele levou um trauma pra vida?

Pense nisso...

Boa semana!! ♥

domingo, 2 de agosto de 2020

Andei lendo: A probabilidade estatística do amor a primeira vista! #beda



Sim, talvez seja o livro com um dos maiores títulos mas é muito amor em casa página. Vi alguém falando dele, e um dia estava com 20% de desconto na Saraiva e me dei de presente. E devorei em pouco tempo. Depois de um livro que foi 'difícil' eu normalmente tento um mais de boinha.

Esse livro vem mostrar de uma forma sucinta e muito leve sobre o amor, segundas chances e oportunidades. Hadley sempre foi super certinha, cronometrada e tudo o mais, e num dos voos mais importantes da sua vida, a mesma perde, e por conta desses quatros minutos, ela vai no próximo voo, onde conhece Oliver, que a encanta e a faz perceber muitas coisas que antes nem sabia que existia. Essas horas de voo fazem Hadley se questionar e se abrir com seu novo conhecido, e faz com que ela sinta coisas que nunca sentiu antes.

Ela indo para Londres para o casamento do Pai. Coisa que ela não queria fazer, estar e presenciar. Ele, indo visitar a família, sem revelar o motivo. Eles compartilham segredos, histórias e angustias, e quando você acaba, você fica sem chão em perceber que esse livro todo se passa em 24 horas. Por vezes, fiquei até segurando o ar com os diálogos, e é tão fofo que aquece muito o coração.

Se você procura uma leitura rápida e romântica, pode dar uma chance pra esse livro. E que tal, quando tudo isso passar, leva-lo na sua próxima viagem, seja ela de avião ou ônibus.



Seguem algumas frases bem fofas para te inspirar nessa semana:

'Se o sentimento é verdadeiro, não precisa ficar mostrando para os outros.'

'O amor é a coisa mais estranha e sem lógica no mundo.'


 Classificação Literária: ♥♥♥♥♥

sábado, 1 de agosto de 2020

Será que estamos mudando com tudo isso? #BEDA

E parece que são dias, semanas e meses iguais. Só vivemos quase 3 meses do ano de 2020 e deu. Não estamos vivendo, e sim sobrevivendo. Um dia após o outro.
Para uns, tudo ainda parece frescura. Que não tem nada demais, que usar máscara, álcool e afins é coisa demais. E que tudo deveria abrir. E para outros, mais conscientes, estamos dançando conforme a música tá tocando. Horas rápida, com notícias a mil, boas e ruins, horas devagar, como se nada mudasse, nem evoluísse, nem melhorasse.
E a cada dia torna-se visível que o ser humano vai demorar muito pra aprender a ser melhor. A aprender a pensar também no bem do outro, e do outro que é do outro. Olhar com carinho o próximo que não envolve só aqueles próximos a você.
Precisamos enxergar um pouco mais a necessidade do outro, a ter empatia, a ser solidário sem a pessoa clamar por ajuda nas últimas instâncias.
Esse nosso 'novo tempo', veio para reavaliarmos o nosso eu e o nosso mundo como tal. Ponderarmos o que realmente importa, o que realmente tem valor, e se nossa energia está sendo usada da forma correta.
Chega de tanto fazer textão pra tentar parecer o culto da vez. É hora de aproximar laços, mesmo mantendo distanciamento, e não hora de criar ainda mais picuinhas.
Que esse pequeno desabafo seja capaz de tocar um pouco seu coração, e que seja um bom mês pra nós. Que sejamos um pouco mais 'um por todos', do que 'cada um por si'.

(Arquivo pessoal - Nov/2017)

quarta-feira, 29 de julho de 2020

Seriando-se: Sense8


Precisamos enaltecer esse espetáculo de série! Eu simplesmente viciei. Comecei a assistir a um ano mais ou menos, mas não tinha me pegado sabe. Então assistia um episódio e depois de meses outro... Mas depois de acabar Friends, decidi que colocaria as series 'não acabadas' em dia, e comecei por ela. E AMEI, AMEI, AMEI, AMEI!

Já te adianto: Veja de coração aberto. E a mente também. Livre de preconceitos, esteja aberto para as mais diversas formas de amor, e aproveite cada segundo que essa série tem. Ela é maravilhosa.


A série conta a história de 8 pessoas, nascidas no mesmo dia, nos lugares mais diversos do mundo, e que são ligadas entre si, por um gene. São classificadas por estudo como 'sensates'.

Em um determinado momento, um começa a perceber a outra pessoa, um felling digamos assim. E dependendo da situação, a pessoa que 'aparece' muda.

E os personagens, ahh! Eles são incríveis:
Naomi, uma mulher trans, que vive com sua parceira Neets. Uma harcker que é capaz de qualquer coisa e que infelizmente ainda não teve a aceitação da mãe quanto ao seu 'novo eu' após deixar de ser Michel e assumir quem realmente sempre foi.

Kala, uma química indiana, que tem idéias que te fazem aplaudir ao longo da série. Sofre por não querer se casar com quem sua família escolhe, ainda mais depois de conhecer Wolfgang.

Wolfgang, alemão, que perde a mãe ainda criança e é maltratado pelo padrasto. Manja de todas as artilharias, até as mais pesadas, e vive com seu amigo e irmão da vida Felix.
Lito, um ator mexicano super conhecido por filmes de romance e policiais. Vive com Hernando e Dani, sua colega de trabalho. Mas, quando sua sexualidade é colocada nos tabloides, percebe que nem todos estão dispostos a aceitar quem ele é.

Riley, uma jovem DJ que já tocou nas baladas mais top's da Irlanda, porém esconde um segredo muito profundo do seu passado, que é revelado lá pro fim da 1ª temporada e que te deixa totalmente sem ar.

Will, policial de Chicago, sempre justo e correto e que seguiu os passos do pai. Terá um envolvimento com Riley, e será quem mais terá contato com o vilão da história.

Capheus, mora em Naioróbi, e dirige uma Van para ganhar a vida. Luta para conseguir dar uma condição mais digna para sua mãe, que é soropositiva.
Sun, coreana de família rica. Vê sua família entrar num escândalo financeiro e decide dar sua cara a tapa, até ser traída pelo próprio irmão e querer a vingança, custe o que custar!

Os personagens 'adicionais' digamos assim são muito bons também. Principalmente os parceiros ou familiares de cada um. Alguns diálogos e acontecimentos te fazem parar e pensar na vida, principalmente na sua, e o que você tem feito e pensado ultimamente.

Sussurros é o principal vilão disso tudo. Um cientista que quer a todo custo pegar todos os sensates e seus cérebros, para conseguir mais poder ainda (ele é um deles também), não importa o que isso custe.

O episódio final é de te prender do começo ao fim. De te deixar sem ar, sem direção de tão vidrado que você fica. Só que infelizmente essa foi uma das muitas séries canceladas do Netflix, por falta de verba principalmente, afinal, algumas cenas eram gravadas em até 8 países diferentes.

Se você quer ver algo totalmente fora da caixa, que mistura amor, paixão, formas de amar, suspense, ação, drama e tudo mais, veja SENSE8 AGORA! Brincadeiras a parte, veja essa série, como disse no começo: de coração aberto! Você será surpreendido! Eu garanto!

 Classificação Seriática: 





segunda-feira, 20 de julho de 2020

Amigos... quanto mais melhor? Será?

 Falar de amizade pra mim, hoje, é mais delicado. Por muitos anos, me vi rodeada de amigos, de vários grupinhos, e achava o máximo. Aqueles amigos que jurei amizade eterna e tudo o mais. E hoje, se tenho em alguma rede social já é muito.
Aprendi ao longo dos anos, depois de muito apanhar, que a quantidade nunca será melhor que a qualidade. Que hoje vale muito mais estar com um amigo que você converse por horas e que você saia dali querendo logo marcar uma próxima conversa, do que reunir 30, 40 e sair dali sem nem saber como sua amiga tá, afinal, foi tudo tão rápido.
Quantos amigos eu acabei deixando pra trás. Deixei o tempo levar. Alguns foram, e depois de um tempo voltaram, e se mantiveram.. Outros foram intensos em alguma fase da minha vida, mas depois foram esvaindo-se aos poucos. Quantos me magoaram profundamente, e quantos eu magoei também. Alguns eu fazia planos super futuros, de até ver casar, e ser madrinha e vice e versa. E hoje, nem tchum, nem tcha
Não os culpo. Culpo a mim também. Mas hoje vejo que tudo acontece na vida com um propósito. Que se for pra sufocar, pra prender, pra mais se machucar do que ter momentos bons, melhor por um ponto final, por em pratos limpos e seguir a vida. Ela lhe trará novos amigos, ou fará com que você valorize ainda mais aqueles que se mantiveram fieis, mesmo depois de anos, mudanças de vida e tudo o mais.
Não fique chateado se hoje ninguém te marcou numa postagem, enquanto outras pessoas foram marcadas mil e uma vezes. Pense naqueles seus amigos, aqueles que você sabe que pode ir na casa de chinelo, que vão te receber de pijama, e que estarão contigo mesmo na piores da situações, e não vão te questionar e agradeça, pois esses são os que valem a pena. 

Feliz dia do: Meuuuu! Nem te conto!
Feliz dia do: Nossa, sei que fazem 84 anos que a gente não se fala, mas como você tá?
Feliz dia do: Ow, tá bem ai?

:)