quinta-feira, 22 de novembro de 2018

A ausencia novamente

Me trai novamente. Deixei a preguiça, procrastinação, e coisas pequenas me impedirem de estar aqui.

Hoje peguei o computador, descarreguei as fotos da câmera, e definitivamente não sabia por onde nem porque começar a escrever de novo.

Tô tentando encontrar foco para levantar aqui de novo. Preciso ser mais forte. Por mim, pois sei o quanto isso me faz bem.

Força, força!

sexta-feira, 2 de novembro de 2018

Filmes Vistos: Viva! A vida é uma festa!



E já que hoje é dia de Finados, achei propício falar sobre esse filme que vi a um tempo e precisava colocar para fora minhas emoções.

Já tinha visto o trailer, mas acabei deixando de lado esse filme. Até que um domingo resolvemos assistir e eu amei demais! Sabe quando você precisa de um filme que te acalme, que te alivie a cabeça de tudo aquilo que vem assistindo e que não causam efeito nenhum, é esse!

Miguel é uma criança que sonha em ser músico (daqueles Mariachi). Porém a família é totalmente contra a qualquer tipo de música, já que o Tataravô abandonou a família para seguir a carreira. Bem é isso que eles pensam.

Nos dias dos Mortos, toda a família monta um lindo altar, colocando as fotos dos entes queridos, para sempre lembrar-se deles. Até que Miguel percebe, que a foto cortada do Seu Tataravô se parece muito com a do seu Ídolo maior, o Mariachi mais famoso da região. E então ele junta 1+1 e vai ao túmulo desse músico, e quando ele toca o violão que era dele, a viagem acontece!

Miguel é transportado ao mundo dos mortos. O portal onde eles podem vir e ficar com seus parentes durante a noite. E ele segue na missão querendo encontrar o seu avô para provar para a família que não foi de propósito que ele abandonou. Porém, quando ele enfim consegue encontrar esse tal músico ele cai na real, e começa uma longa batalha para saber em que e em quem realmente acreditar.



É um filme lindo. A Pixar acertou em cheio novamente. É um filme lúdico, musical, e cheio de rimas para atrair as crianças, porém com entrelinhas que fazem os adultos pensarem nos pontos principais e importantes da vida. Coisa que a Pixar vem fazendo e muito bem desde sempre (UP, ToyStory...)

Miguel é um menininho que te faz querer lutar junto com ele. Que te faz torcer, rir e se emocionar quando tudo enfim é explicado. E a vózinha dele, é uma fofura em pessoa. Me fez lembrar das minhas em vários momentos, o que fez com que algumas lagrimas involuntárias saissem.

É um filme para a família inteira. Quero ver de novo e de novo, porque é daqueles filmes que enchem os olhos e aquecem o coração. Pixar pode continuar assim que tem uma fã aqui que verá todos!! 


quinta-feira, 1 de novembro de 2018

'Não é sobre Correr contra o tempo pra ter sempre mais...'

Já faz um tempo que venho percebendo o quanto as pessoas ficam constantemente cobrando as outras, criando relógios fictícios que muitas vezes só atrapalham a vida do outro.

Não precisamos correr tanto assim pra tudo. E nem sermos cobrados. Quando casaremos, quando mudaremos, quando faremos. Você não é uma engrenagem que pode rodar o ponteiro do outro. Cada um tem seu tempo e sua hora para coisas.

Se você quer investir hoje em algo que deseja muito ser do seu jeito invista. Não deixem que te falem: Mas e se daqui tantos anos acontecer isso? E se você daqui um tempo quiser isso? Não amigo! Você pode fazer o que quiser no hoje se tem vontade e condições para isso. Só você sabe a hora que as coisas devem acontecer na SUA VIDA!

Temos sim que planejar o futuro, a curto e longo prazo. Mas não é nada legal ter 'tic-tac's' nas nossas orelhas cobrando e perguntando de cada campo da sua vida. Quando vem o namorado? E o noivado? E o neném? E o outro? Quando trocam de casa? E de carro? Não vai mais estudar?

A vida tem que ser vivida a cada maneira. Cada um tem um gênio, um relógio biológico e um porém na vida. Não queira apressar o de ninguém se não quer que apressem o seu. A gente não sabe o dia de amanhã, e não sabe o que se passa com cada pessoa.

E não tenha medo de começar de novo. De acertar os ponteiros e apertar o cronômetro de novo e de novo e de novo. Nunca é tarde para estudar, para mudar de vida, para malhar, para o amor, porque não!?

Não corra contra o seu relógio para ter mais e mais, e não ser feliz!

(Setembro/18 - Sarapuí/SP)

sexta-feira, 26 de outubro de 2018

Seriando-se: Elite (Original Netflix - 1ª temporada)



Olá.

A gente fala que não vai passar as séries novas na frente mas não tem como né? Confesso que achava que seria na pegada RBD da vida, que não iria curtir e tal, mas eu gostei muito.

O enredo mostra 3 jovens da classe baixa (Samuel, Nadia e Chisrtian), que após a escola ter desabado, 'ganham' bolsas de estudo para estudar em Las Encinas, uma das escolas mais populares da região, e que somente alunos da elite social estudam.

Porém logo no primeiro episódio vemos que alguns alunos estão em um interrogatório. E no fim desse, vemos que houve um assassinato, e quem foi a vítima. Confesso que fiquei chocada quando descobri quem morreu, e já comecei a especular mil e uma possibilidades.

Ao longo da série temos cenas do interrogatório e cenas do passado, mostrando motivos que poderiam ter ocasionado o assassinato. E lá para os últimos capitúlos temos cenas do presente, após o ocorrido. Só ficamos sabendo quem matou no 8 e último episódio dessa primeira temporada.

Confesso que desconfiei de vários personagens. Alguns eu já meio que chutava que não tinham sido, porque eram motivos óbvios demais. E passei longe de quem foi. Não gostei (porém é até entendível) o motivo da morte, mas achei meio blaaaah.

E foi muito legal que a última cena deixa um gancho para uma próxima temporada, que já foi confirmada.

Achei super interessante como a série aborda temas atuais: homossexualidade, poliamor, corrupção, suborno, diferentes classes sociais. Você vê as coisas com outros olhos e fica boquiaberto em algumas situações.



Os atores são ótimos. Super se entrosam em cena. Alguns vieram do La Casa de Papel. E uma delas, que fiquei me perguntando quem era, porque não sossego quando cismo com um ator, descobri que era a protagonista de uma novelinha infantil lá dos anos 2000 que passou no SBT, 'Amy, a menina da mochila azul!'

Indico a série sim. Acho que muita gente está com o pé atrás pelas fotos de divulgação, aqueles uniformes todos e tal. Mas vale a pena sim. E me fez gostar mais de séries desse gênero com investigação e tal. Até fiquei com mais vontade de ver Scream de novo. Vi 1 ou 2 episódios e parei.

Ah!! E depois vendo alguns comentários no TVST, vi que uma pessoa comentou uma determinada cena e dá super para ver quem foi mesmo. É uma coisa de 5 segundos, uma frase, que fez todo o sentido!!!

E você? Já viu Elite? Acertou quem morreu e quem matou de primeira? 

terça-feira, 23 de outubro de 2018

Já se passaram 10 anos dos 18...

Na última terça, 16, completei 28 anos. Bem vividos graças a Deus.

Tinha algumas idéias para postar aqui mas acabei deixando passar. Na noite anterior a data, eu me peguei pensando: caramba, já fazem 10 anos que fiz 18. E quanta, quanta coisa passou nessa década.

Me peguei pensando naquela Carol de 2008, nas coisas que ela pensava, sonhava. E muita coisa mudou sim. Em 2008 estava começando a me mostrar pro mundo. Na verdade, foi um ano de fechamentos de ciclos. Ano que me formei no colégio, e acabei o primeiro estágio. Ano que deixei para trás 7 anos numa mesma escola, que dei o último tchau a amigos que estavam comigo até antes disso. Primeira vez que sai de um serviço onde aprendi tudo, tudo mesmo. Desde a furar a folha no centro com o furador, a atender bem uma pessoa ao telefone.

Aquela Carol era bem insegura com tudo. Tinha medo de se declarar, de mostrar as coisas que gostava. Não arriscou tanto quanto deveria talvez. Se escondeu muitas vezes, foi incompreendida, e julgada também. E iludida porque não. Era uma Carol que queria fazer faculdade (Administração, Moda, Psicologia, Fisioterapia e Jornalismo), mas não sabia, qual, onde e nem por onde começar, afinal, teria que bancar por conta própria.

Dá uma saudade sim, de pensar em tudo que vivi nesses anos que seguiram. O começo da faculdade, novos amigos, nova rotina. A volta pro antigo estágio, porém como nível superior, e depois de 2 anos o primeiro emprego mesmo, registrada em carteira, que é o que estou até hoje. Não imaginava que minha vida tomaria tais rumos, mas hoje fico feliz pelo caminho que trilhei.

Fiz muitos amigos, mantive alguns, perdi outros. Não digo perder, como se fizesse falta. Por uma época, me doeu ver que me afastei de algumas pessoas (se culpa minha mesmo ou não), mas hoje compreendo que foi melhor, e que até as mais recentes 'perdas' me fizeram bem. Me fizeram crescer de alguma forma. E novos amigos vieram. A Carol de hoje prioriza os poucos amigos, desde que esses sejam de verdade, coisa que a Carol de 18 já adorava um amigo novo no Orkut.

Devia ter me cuidado mais. Mas nunca é tarde e a gente aprende. Aprende a se cuidar por você mesmo. A não ligar (tanto) quando a calça fica mais apertada do que deveria, ou aquela blusinha já não tem o mesmo caimento. E falando em caimento: ainda bem que o senso de moda mudou também. Porque pensando bem, era cada lookinho que nossa kkkk

Falando sério agora... minha vida foi vivida nesses 10 anos da forma que tinha de ser. Uns empurrões do destino, outros meus mesmos. Aprendizados, calos da vida ganhos, muitas quedas tive, porém levantei tantas outras. Percebi depois de muito custo, que a família da gente é que realmente vai estar nos seus momentos da vida (felizes ou tristes). Que o amor pode acontecer, quando você mesmo esperar, e que não precisamos ter pressa de tudo não. As coisas vão se encaixando na vida, igual ao jogo de Tetris. Para a Carol dos 18: valeu a pena garota! Você deu o seu melhor em cada situação. O medo te segurou em algumas, mas foi melhor assim. E pra Carol de 38: que você continue essa mulher forte que se tornou, que tenha arriscado mais, sonhado mais e tentado mais. E que seu coração continue o mesmo não importa a situação.

Parabéns para mim! Agora pros 30 só faltam 2. Estou querendo montar uma listinha aqui no blog, daquelas de coisas para fazer antes dos 30. Quem sabe né. Se bem que para mim os 30 valem do 0 ao 9... então ainda temos chão não é?





quinta-feira, 4 de outubro de 2018

Andei Lendo: Semilunar, Camilo Solano



Ai ai, 

O coração até bate mais feliz ao lembrar dessa HQ tão amor. Acompanho o trabalho do Camilo a uns 3, 4 anos. O conheci na CCXP e tenho todas as Hq que ele já lançou. E é sempre tiro, atrás de tiro. Ele tem um talento incrivel. E você consegue ver muito dele em cada história, que sempre tem um enredo diferente, e um final surpreendente.

Adquiri a Semilunar na ultima edição da feira. E desde então não havia lido ainda. Estava com outros livros e sabia que precisaria de um momento próprio de dedicação para ela. O Fê já tinha lido a dele, e me disse que eu iria adorar.. ele estava certo!

Temos a história da garota Maria. Gaga, a mãe a ensina desde pequena a criar pequenos poemas para suas dúvidas da vida e para responder as pessoas de forma clara, seja lá qual for o tipo de pergunta.

Maria é tranquila, na dela. Gosta de ficar a observar o mar. Mas sente que ainda não pode ser ouvida por todos. Encontra no violão uma forma diferente de se expressar. Decide então tentar uma bolsa em um colégio de talentos digamos assim, porém, dias antes é que toda a história muda, e você começa a sentir as dores com ela.

Não consigo falar muito o mais. Pois sairiam spoliers. Só digo uma coisa: comprem essa HQ, leiam, contemplem e apreciem essa obra. É de encher os olhos, esquentar o coração e acarinhar a alma!!!



E eu fiquei tão fascinada com a história que tive que pegar e ler novamente. Na mesma hora!!!

Alguma citações:

'Mas até um grito tem que ser ensaiado para sair!' Maria

'As palavras quando ditas têm outro significado!' Dolores

' Um mais um são uns.. alguns tentando ser mais do que nenhum!' Maria (Minha favorita!!)

E esse projeto é ainda mais completo. Foram criadas algumas canções para somar ainda mais essa linda história. Canções curtinhas mas de significado imenso!!!

Seguem links!!

Resposta Imediata (https://www.youtube.com/watch?v=FkkTot6jT48)


Falar (https://www.youtube.com/watch?v=ohUzW7cNTp4)




Uns (https://www.youtube.com/watch?v=YsWC9FnA1oI)


Agridoce (https://www.youtube.com/watch?v=awy5AN6CIMo)



Classificação Literária da Blogueira:  ♥♥♥♥

quarta-feira, 3 de outubro de 2018

Politicagem demais!

Aproveitando a deixa de época eleitoral que estamos vivendo...

Como sinto raiva dessa época. Não pelas promessas em vão da maioria dos candidatos. Mas por ver o quanto pessoas mudam do dia pra noite de personalidade.

Se você fala (por livre e espontânea vontade, afinal você não é obrigado a nada), em quem vai votar ou a qual partido tem mais apreço, mil pedras caem sobre você. Desde xingamentos, discussões e textos imensos na timeline de geral. 

Pessoas que colocam algo em um patamar tão superior a outros quesitos, como família, amizade, ou o mais importante que laços, que é o respeito mútuo em troca do que? De gritar mais alto o nome do seu candidato? De vender seu peixe no grito?

Super apoio quem vai as ruas, e luta por aquilo que acreditam. Vivemos numa democracia e todos, TODOS merecem respeito. A sua opinião é tão importante quanto a do outro, e no bate boca nada se resolve.

Se você quer ser 1,2,50,89, vai na fé amigo! Respeite o voto do amigo do seu lado do serviço. Respeite a opção política do seu companheiro de trabalho. Não fique: Fulano, óh vota tal hein? Cada um tem livre escolha. Não seja mais um chato em ano eleitoral. 

E pelo amor de Deus!! Não joguem esses papeis eleitorais em vias públicas! Isso me entristece profundamente. Principalmente no dia de eleição: ver ruas, calçadas tão cheias de papeis, que fica perigoso andar, passar. E depois, se der uma chuva e entupir tudo, de quem será a culpa? Pegou um papel de candidato. Não é o que vai votar, não te interessa. Guarda e joga quando encontrar um lixo, ou quando chegar em casa. 

E se você é candidato, ou que ajuda um deles, não seja do tipo que some 2, 4 anos da vida de todo mundo e do nada vem procurar só pedindo um favorzinho. Não somos (Eu pelo menos não sou) obrigada a aceitar com jeitinho de: claro tudo bem! Não! Vai ser na lata: não gosto de receber, também não vou enviar. 

Não é questão de ser chata, é questão de que nessa época dá até medo de sair na rua pra ir votar. As pessoas te pegam quase na porta da sua sessão eleitoral. Como se o voto fosse mudar a cada dez passos.

Pensem nisso. E votem com consciência. Seu voto é todo seu. Não seja um fantoche dos que gritam mais alto mas podem ser fantoches de outros que manipulam dando risada!!

(Esse post, não faz menção e nem 'alfineta' nenhum partido ou algo do genero! É apenas um desabafo de quem já cansou de ver que todo ano eleitoral é a mesma pataquada!)

terça-feira, 2 de outubro de 2018

Seriando-se: Gilmore Girls, Um ano para recordar!

Oi oi, demorei mas vim aqui falar sobre!!

Enfim, assisti depois de 7 temporadas, a nova série das Garotas Gilmore. Estava super ansiosa, pois como já disse no outro post sou super fã da série.

A série é dividida em 4 episódios. de cerca de 1 hora e pouco cada um. E cada um reflete uma estação do ano (daí o nome: um ano para recordar!). A história continua na cidade de StarHollows, cerca de mais de 10 anos depois do último episódio.

É muito legal ver os personagens de novo. Você fica feliz de ver como a pessoa tá. Tem uns que não envelheceram quase nada, outros que já fica visível uns tons grisalhos, uns botox's aqui e ali. Mas isso em nada interfere. E você fica torcendo no início para ver quais deles vão aparecer. Quais realmente toparam.

Pensando assim a grosso modo não senti falta de nenhum assim. Até uns que eu imaginava que nunca mais voltariam, voltam e isso é muito legal. Me deixou feliz. É só triste pensar que o Richard não está mais na série. E não considero isso um spoiler. O ator faleceu em 2014, devido a um câncer.

Cada episódio é uma estação do ano, e você se empolga com cada nova possibilidade que a história pode ter. Logo no começo já temos flashbacks do dia do velório de Richard, e alguns momentos que ele teve com Lorelai, Rory e Emily e como foi tudo. Foi um bom meio de começar a recontar tudo ao meu ver, pois daí as personagens começaram a se reapresentar novamente.

Os dois primeiros episódios foram melhores para mim. Fluíram super bem, e aqueceu o coração sabe. Não gostei de ver que Rory ainda não tinha se decidido com relação a Logan, a relação deles não é certa, e para mim, foge um pouco do lado Rory de ser.

É legal ver Lore e Luke juntos. Eles são aquele casal que você ama com todas as forças e que torceu desde a primeira temporada. Claro que com o tempo as cobranças viriam a eles, cobranças de suas consciências e da sociedade. E é engraçado quando vemos que pode ser a solução para um dos problemas: Ninguém menos que nossa amada Paris! Que só citando está lindíssima.

Emily começa a ter que viver enfim por ela mesma. Tem que sair da sombra que foi viver anos pelo seu marido, fazendo programas com ele e por ele. E ver com isso é difícil a ela aperta o coração. Mas ela consegue e fiquei feliz com o destino da personagem dela.

A série trás varias citações a cultura pop de hoje em dia, e também cita alguns fatos das temporadas anteriores. E é bem legal ver como cada personagem tomou um rumo, uns diferentes dos esperados, mas mesmo assim tomaram.

Teve um episódio, acho que o terceiro, que para mim foi beeeem chato. Incluíram um musical sobre a cidade e mostraram todo o ensaio que eles tiveram e coisa e tal e foi bem maçante. Até me perdi quando tava assistindo. Sabe quando você vai pra Nárnia e volta? Então.

Mas a série termina bem. Rory consegue enfim perceber que não é tudo do jeito que a gente quer na vida. Que nem sempre o futuro brilhante e promissor estará te esperando.

E faço uma ressalva aqui: o tempo fez um bem danado ao Jessie. Tanto fisicamente como psicologicamente. Ele amadureceu muito, e você até esquece o pilantrinha que ele era no começo.

E a cena final, o desfecho do ano, a ultima frase, com aquelas palavrinhas, fazem você ter um ataque cardíaco e torcer para que o Netflix faça a continuação, porque não pode acabar assim. Não depois dessa linha que ficou solta!




terça-feira, 25 de setembro de 2018

Entrar em sintonia...

Estar no mesmo ritmo, na mesma vibe, na mesma vibração. Saber que tem alguém que luta com você e por você. Que quer as mesmas coisas, e está disposto a viver o sonho junto.

Sentar, e conversar. Colocar os pingos nos 'is' da vida e entender que na hora certa as coisas se ajeitam e começam a ganhar forma. Sonhos começam a sair do papel, do bloco de notas, do post-it e começam a ser construídos dia-após-dia.

Colocar na mesa tudo o que sente, sonha e deseja. E ir adaptando os anseios, desejos e meta ao do outro. Tirando um pouco de si, colocando um pouco da pessoa, e assim achando a sintonia perfeita, a junção dos mundos.

Vale a pena esperar que na hora certa acontece. As coisas vão se alinhando, tomando forma. Voltam a dar certo. Voltam a ter um gás a mais.

E quando a vida entra em sintonia, tudo melhora, tudo fica mais bonito, com mais motivos bons e menos complicações. 

Um viva a sintonia! E que ela aconteça nos momentos certos!!

(Beco do Batman - Maio/2016)

sexta-feira, 31 de agosto de 2018

Sobre blogar 1 mês... BEDA!

Oi gente.
Chegamos ao dia 31/08. Dia internacional do Blog. Dia em que termino com louvor, um mês inteiro de postagens. Isso era algo que sempre quis fazer mas nunca conseguia ou tinha força o bastante.
Talvez  eu tenha tido uma força de dentro que eu nem saiba de onde veio. Sei que era uma coisa minha que eu queria conseguir, e alcançar essa meta e consegui sim!
Um mês que rolou de tudo aqui. Crônicas, desabafos, resenhas, tag's, e até histórias pessoais. Consegui me programar bem antes e deixar várias postagens já programadas e ir pensando nas próximas com mais carinho.
Senti meu coração melhor. Com sensação de dever cumprido. De que eu posso conseguir se eu tiver foco.

Hoje percebo o quanto essa página me faz bem. O quanto estar aqui, partilhando idéias, mesmo que ninguém leia todos os post, faz bem para o meu eu. Me alivia quando o coração transborda, quando a mente está cheia, ou quando quero muito partilhar experiencias.
Estar aqui, para mim, é um exercicio mental. Por minhas palavras para fora, e mostrar para pessoas que gostam e muitas vezes eu nem conheço.
Blogo hoje, por amor e com amor. Não é o meu serviço, não é para ter seguidores. É para mim uma forma de mostrar as coisas que gosto, que sinto, e partilhar isso com pessoas que tem o mesmo gosto que eu. É seguir pessoas que fazem um conteúdo incrível e me inspirar em cada uma delas. É ter certeza a cada dia que dá para ser feliz na blogesfera. Sem pisar em ninguém, sem roubar o lugar do outro.

O blog me ensinou a me conhecer. Me ensinou que quando a gente coloca para fora e lê daqui um tempo, percebe o quanto amadureceu e mudou. E muitas vezes superou. Tenho o blog desde 2013. já pensei em parar de vez muitas vezes, de desistir e desativar tudo. Mas não. Já virou parte de mim. Parte da minha história. E é por aqui que vou ver ano após ano como minha vida era, é, e até fazer previsões de como será (ou que eu desejo que seja).

Obrigada a todos que acompanharam durante esse um mês. Não falei para ninguém que a meta era essa, de ser um possivel BEDA. Porque tinha medo de não conseguir e rolar a frustração depois. Hoje posso dizer que consegui. Que cumpri uma meta. Foi um mês dificil, muita coisa acontecendo, na família, na vida. Que venham outros meses assim. Que venham as novas postagens. Estarei aqui, na minha maneira, no meu jeito de mulher, com olhar de menina!